sábado, 27 de junho de 2020

Dia triste ou dia feliz?



Outro dia, meu filho começou a reclamar que estava tendo um dia triste (não foi bem essa palavra que ele usou, mas prefiro simbolizar assim aqui). E lá começamos de novo uma longa conversa... 
O que é um dia triste ou feliz? Provavelmente se eu ligasse para a minha mãe naquela hora, que tem muitas limitações físicas/motoras, que depende de alguém para atividades básicas, e perguntasse à ela se teve um dia triste ou feliz, provavelmente a resposta dela seria de um dia feliz. Enquanto meu filho, por pouca coisa, como descontentamento com algum jogo ou algo que não deu certo, sentia-se num dia triste. A questão de se sentir triste ou feliz, não são os fatos em si, mas sim a nossa percepção em relação à eles, o significado que nós damos. Podemos fazer uma formiguinha virar um monstro, se alimentarmos esse sentimento. O que muitas vezes fazemos! 
O que tento fazer com meu filho é mostrar a forma como ele está enxergando a situação, e como poderia ver diferente. E a outra coisa é não deixar crescer o sentimento ruim. Quando não está conseguindo fazer alguma coisa, está dando errado, ficando irritado... mudar o foco! Parar um pouco o que está fazendo para quebrar aquele sentimento, depois retoma! Um dia fizemos uma listinha de coisas que poderia fazer quando estivesse assim. Coisas tipo respiração profunda, tomar água, dar um abraço, tomar banho, ouvir uma música... Outra coisa boa para fazer é parar e praticar a gratidão! Tem muita coisa ruim, dando errado? É hora de parar e agradecer pelo que está bom, pelo que está dando certo! E vamos em frente, por mais dias felizes!

quarta-feira, 13 de maio de 2020

Cama elástica/Pula-Pula, brinquedo aparentemente inofensivo

Cama Elástica Grande Pula Pula Trampolim 3,05 Reforçado - R$ 1.098 ...
   

A cama elástica ou pula-pula é um brinquedo bastante comum em festas, espaços infantis e até mesmo em casa. Brinquedo aparentemente inofensivo com a função de pura diversão, mas nem sempre é isso que acontece.
Resolvi falar sobre isso, porque há alguns dias eu tive a "brilhante" ideia de alugar uma cama elástica para deixar uma semana em casa, para divertir meus filhos, nesse período de férias sem poder sair de casa. Bem, aluguei e depois de umas 3 ou 4 horas dela montada na sala da minha casa, já acabou a brincadeira, de um jeito desagradável. Meu filho de 10 anos se machucou. Caiu de mal jeito e saiu do brinquedo com muita dor no pescoço. Se acomodou deitado no sofá e não conseguia mais mexer o pescoço direito de tanta dor, não conseguia nem sentar. Fiz uma consulta médica on line. Conforme orientado, fiz compressa fria, passei uma pomada e dei dipirona. Esperamos mais duas horas e não resolveu, então acabamos o levando ao hospital 10 de julho em Pindamonhangaba. Foi muito bem atendido e avaliado lá. No final das contas, graças a Deus, não foi nada grave, seguiu tomando um anti inflamatório, um relaxante muscular, fazendo compressa fria e usando aquele colar cervical. Depois de uns 4 dias já estava normal! Mas confesso que fiquei bem preocupada no dia, e percebi que acidentes em cama elástica é mais comum do que eu pensava, podendo ter consequências graves!
Vi relatos de médicos que recebem vários casos de pessoas que se machucaram com a cama elástica. Pode gerar contusões, lesões nos ligamentos, fraturas, uma série de traumas...inclusive morte. Descobri também que a cama elástica nem é considerada como brinquedo pela ABRINQ (Associação Brasileira dos Fabricantes de Brinquedo)!
Bom diante do ocorrido com meu filho e do que pesquisei, não pretendo deixar mais meus filhos usar a cama elástica, mas para quem gosta, por favor redobre a atenção!!!
Certifique-se do estado do equipamento, se está com a tela de proteção firme, sem partes abertas, se as partes de ferro estão devidamente protegidas, se as molas estão cobertas, se não há nada enferrujado. O ideal seria entrar apenas uma pessoa por vez, descalça, sem ficar fazendo "graça" ou pulando com manobras. Também vi alerta sobre uso excessivo, que pode causar problemas na coluna. Não encontrei a referência sobre esse tempo, mas fica a dica! Ah e também sempre sob supervisão!


quinta-feira, 16 de abril de 2020

Vida de mãe no isolamento social

Hoje assisti um vídeo muito engraçado, de uma pessoa encenando uma mãe de dois filhos dando entrevista em home office, sobre essa atual situação de isolamento social. Dei muita risada! É claro que ela mal conseguia responder ao repórter, porque era constantemente interrompida pelas "artes" dos filhos e voltava cada vez mais descabelada e alterada.. Foi muito engraçado, me identifiquei com a situação, exceto quando aparece com uma faca! Mas foi uma boa representação para o estado interno!
A representação foi numa situação de trabalho em home office, mas para mim que já fico o dia todo com meus filhos, em qualquer situação isso pode acontecer, comigo acontece em várias situações. Às vezes, o simples ato de atender uma ligação se torna um desafio! Que loucura! Já passei cada uma aqui em casa!
Atualmente tenho rezado o terço com a minha família por vídeo chamada. Quando coloco meu microfone no mudo, todos já sabem que estou tentando conter as crianças! Outro dia minha irmã brincou ao final de um terço (que incrivelmente não teve interrupção), "agora vai lá desamarrar as crianças" kkk Olha só que maldade! kkk (eu nunca faria isso). Ao ver meus filhos nesses momentos de agitação, meu amado pai diria "parece criança"!
Acho que muitas mães passam por isso, principalmente aquelas com pelo menos 2 filhos! Isso também acontece com você?

quarta-feira, 15 de abril de 2020

"Pote da calma"

Esses dias estava me lembrando de um grupo no whatsapp que participei ano passado. Era um grupo conduzido por uma profissional com o propósito de ajudar mães a lidar com a birra das crianças, o que me pareceu bem conveniente rss. Bem, uma das propostas era fazer com a criança um "pote da calma", que ela usaria nos momentos de birra/nervoso. Nós fizemos, foi interessante, o do meu filho depois acabou caindo e estragando.
O que fiquei refletindo depois é que antes dessa atividade, devia ser feito um "pote da calma" é para a MÃE da criança! kkk
Brincadeiras à parte, o que penso é nessa linha mesmo. Pois quando a mãe não tem controle, dificilmente um "pote da calma" para a criança resolverá o problema. Pode conhecer mil técnicas, e ainda assim será difícil na prática. Me refiro aqui ao controle emocional da mãe. Nossos sentimentos afetam nosso campo de energia, afetando a criança e toda a casa. Muitas vezes à atenção/preocupação fica voltada para a criança, mas antes as mães deveriam olhar mais para si mesmas, perceber como andam se sentindo, agindo... Afinal, tudo que está no nosso mundo exterior, é reflexo do nosso interior!

quarta-feira, 4 de março de 2020

Parece criança!

Quantas vezes ouvi meu pai dizer com tom de brincadeira "Parece criança!", depois de me ver chamando à atenção dos meus filhos fazendo alguma "arte"! Pensando bem, percebi que muitas vezes brigamos com nossos filhos à toa, reprimindo a sua própria natureza que é ser criança! Às vezes pelo simples tom de voz deles... Parece que queremos que se comportem como adultos.
É claro que devemos nos atentar às atitudes perigosas (por sinal sou bem neurótica e meu marido pior ainda 🤭, local onde estão... enfim, mas usando o bom senso, devemos deixá-los um pouco mais livres para serem crianças!
Esses dias meu filho ia sair pra brincar na rua e estava de chinelo, eu o parei na porta e falei pra ele que aquela brincadeira não iria dar certo de chinelo, porque outra vez caiu correndo de chinelo e machucou todo o joelho! Ele falou que ia colocar tênis, eu falei que não porque o tênis era novo e só estava com aquele no momento, porque o outro rasgou! Falei pra ele procurar alguma brincadeira dentro de casa. Ele olhou pra mim e disse “Mãe, eu sou criança!”. Ai que dó! Nossa que chatice a minha! Acabei deixando com algumas recomendações 😊! Tenho que me policiar!
E quando de longe, ouvimos alguns gritos e já chegamos brigando... várias vezes era só grito de alegria porque conseguiu alguma vitória em jogo, mas vamos no automático! Temos muito o que melhorar!
Podemos acabar criando sentimentos, emoções que irão afetá-los por toda a vida! Às vezes acabo fingindo que não estou vendo pra não chamar à atenção e reprimi-los, mas fico de olho! Comigo acontece assim, e com você? Você deixa seu filho livre para ser criança ou reprime demais?